terça-feira, 9 de maio de 2017

Pirata Possesso


Quando te aninhas no meu colo arfando
Logo o lábio, o seio, o ventre em flor,
Arautos mudos da paixão e do amor,
Conluiem delícias, corpos amando,

Fragatas que zarpam de quando em quando,
Por mar de corais e ondas de calor;
Sargaços em duelos, virgens em furor
E um pirata possesso no comando.

O meu colo, que antes era deserto,
É mar que abriga teu mar de marés
Prenhes e mormaços sob um céu aberto.

És linho, és seda e vela das galés
Que o mastro impele por rumo encoberto,
E eu pirata espiando-te do convés.


Luis R. Santos, 2012 ou antes


esse eu mesmo fiz backup na época:
http://forum.jogos.uol.com.br/panela-dos-poetero_t_2188771?page=2#41317593

Nenhum comentário:

Postar um comentário